Escolha de profissão no Idade Mídia

Fernanda Caetano entrou no Idade Mídia para entender mais do mundo da Comunicação e, no curso, teve a oportunidade de ter algumas de suas dúvidas respondidas. Hoje, faz Publicidade e propaganda na ESPM e trabalha como na área de mídia da agência Taterka. No início de 2012, fará o curso Filmmaking Certificate na London Film Academy.

Dez anos de Idade Mídia, diretamente de Barcelona

O depoimento de Ligia Roca se explica sozinho com uma energia muito maior do que qualquer introdução que escreveríamos aqui. Parte do primeiro grupo que fez Idade Mídia – composto por 9 meninas que reivindicaram um curso de comunicação no colégio. Hoje, com as mídias sociais, continua próxima do grupo, acompanhando discussões no Facebook diretamente da Espanha, onde cursa  mestrado.

 

Tive a honra de fazer parte da primeira edição do Idade Mídia. O grupo começou, pelo menos para mim, com um ar de rejeição, como uma premiação aos cafés-com-leite que não foram aprovados para o projeto Rádio Escola, do Aprendiz. A gente não tinha nem ideia do que ia virar aquilo. Não sei nem se o Ale tinha. Tudo ganhou corpo em seis meses e o resultado foi o Fanzonas, um fanzine batizado pelo Gilberto em homenagem ao time girl power. O semestre foi super corrido, mas cada sexta-feira depois do almoço era uma terapia. Principalmente porque me aproximava daquilo que eu já tinha escolhido como profissão, o jornalismo. Foi o primeiro contato com os bastidores da produção de conteúdo… E a nossa comunicação acontecia num ritmo diferente do de hoje. Não sou tão velha, mas imagina, não tinha nem o Orkut ainda. A interação virtual rolava apenas por email, não existia procurar fonte nas redes sociais, trocar textos, intercambiar vídeos, ter um grupo interativo. Afinal, há uma década de diferença.

É interessante ver que o projeto cresceu e muita coisa mudou. Adoro ver as conversas do IM no Facebook, o pessoal correndo com prazos, dividindo dúvidas, pedindo ajuda para encontrar entrevistado. Legal ver também que o IM ajudou seus integrantes na escolha da carreira, como eu, que me formei em Jornalismo pela Cásper Líbero em 2008, e abriu vaga para estagiários, ex-Idade Mídias, além de começar a ampliar seus formatos e permitir a entrada do vídeo. Passados dez anos, tenho a única edição que me sobrou do Fanzocas na gaveta da minha casa aqui em Barcelona, onde estudo um master em Documentário, e sinto orgulho dela. Não tanto pelo jornalismo, mas por uma época da qual guardo memórias incríveis, carrego amizades até hoje… Por uma ideia que ouviu e levou os adolescentes a sério. Agradeço ao Colégio e ao Aprendiz pela oportunidade e investimento, ao Ale querido, à Marina e à Cândida, pela paciência e pelo carinho. Um beijo gigante para as fofíssimas Jeniffer, Ana Carol, Marcela, Núbia, Yara, Aninha, Milla, Carla. As melhores energias para todos. De coração.

 

Visão idademidiana

Sophia Nietzert é uma daquelas garotas que fez da turma de 2009 do Idade Mídia um grupo ativo e com vontade de mudar o mundo. Ela, que cursa jornalismo na ECA-USP, deu um belo depoimento dizendo o que sentia no curso, o que aprendeu e as qualidades de quem compõe a Rede Idade Mídia. Vale assistir e ouvir um pouco do que essa garota simpática tem a dizer para entender melhor o projeto:

Vontade de mudar o mundo

Priscila Garcia foi de uma turma que ficou marcada pela vontade de mudar o mundo e inovar. Hoje, faz Relações Internacionais na ESPM e acha que esse desejo de mudança foi se perdendo naquele grupo que fez o Idade Mídia em 2009. Mesmo assim, ela ainda tenta fazer sua parte e tem grande potencial para concretizar mudanças que ela deseja na sociedade. Confira o depoimento: