Caleidoscópio que ajuda a entender o jornalismo

 

Carolina Zuccas e Marina Consolmagno no lançamento da revista Caleidoscópio

Carolina Zuccas fez Idade Mídia em 2010 e escreveu a matéria Inclusão social virou moda? na revista Caleidoscópio. Nela, falou sobre a inclusão social na escola. Hoje, está se formando no colégio Bandeirantes e pretende cursar Direito. Veja o depoimento dela sobre o Idade Mídia:

 

Participar do Idade Mídia no ano passado me fez entender muito bem o mundo do jornalismo. As matérias para os blogs, as aulas, a revista… Tudo que fiz me fez perceber como é trabalhoso e ao mesmo tempo divertido aprender e mexer com isso. Não tem nada melhor que ver algo escrito por nós em uma revista, ou um blog importante. Eu sempre gostei de escrever e achava essa parte de comunicação muito legal, mas o Idade Mídia me fez perceber que tudo era melhor ainda do que eu imaginava. Só posso dizer que valeu demais a pena, e que eu vou guardar tudo que eu aprendi e vivi para sempre.

Idademidiano na London School of Economics

Participei do Idade Mídia em 2007. Nunca tinha realmente parado para pensar em como fui parar em um grupo de alunos do ensino médio que ousam praticar jornalismo; hoje acho que foi uma espécie de união do útil ao agradável. Sempre gostei muito de ler e escrever, e também tinha curiosidade em descobrir as atividades existentes por trás dos produtos jornalísticos que consumimos diariamente. Além disso, é bom lembrar que o colegial é uma época repleta de incertezas para qualquer adolescente. Não fazia idéia de que carreira seguir, e pensei que uma experiência como a participação no IM poderia ajudar a me definir (ou ao menos a resolver se deveria mesmo considerar fazer jornalismo).

Na verdade, quando me formei no Bandeirantes, acabei seguindo outros caminhos: hoje faço Economia na FGV e Direito na USP. Mas isso não significa que o Idade Mídia não me influenciou. Muito pelo contrário: sinto hoje que o curso foi muito importante para mim, não só pelo conhecimento que este me proporcionou a respeito da mídia, mas também por ter me levado a conhecer um grupo de pessoas fantásticas, com as quais mantenho contato até hoje.

Além disso, a participação no Idade Mídia me deixou outra marca: o sentimento de realização ao ver a revista pronta, após tantos meses de trabalho, foi indescritível. O orgulho e a felicidade em ver as inúmeras discussões, pesquisas, entrevistas e levantamentos de informações transformados em algo concreto e tangível me levaram a continuar escrevendo na faculdade, onde sou membro da redação da Gazeta Vargas, revista periódica produzida pelos alunos da FGV.

Agora, estou prestes a promover uma grande mudança em minha rotina: nos próximos dias embarco para Londres, onde estudarei por 1 ano na London School of Economics. Apesar de isso aparentemente não ter relação alguma com o tema desse texto, sinto que a realidade é oposta. Toda minha participação no Idade Mídia ajudou muito a “abrir” minha mente, tornando-a mais receptiva a novas idéias e experiências, como a que vivenciarei a partir de agora. Acredito que, dentre todos os legados que o Idade Mídia me deixou, esse é o mais importante e o que mais me orgulho em carregar,

Felipe Yamada, 2007.

Como conseguir boas notas usando redes sociais?

O Masters in Education criou um infográfico com base na realidade escolar norte-americana mostrando que é possível melhorar o aprendizado em sala de aula utilizando redes sociais. O infográfico é baseado em vários estudos que mostram que, com esta ferramenta, é possível aumentar o grau de discussão do que é ensinado em sala de aula tanto dentro da escola quanto fora dela, além de possibilitar que os próprios estudantes escrevam relatos sobre suas experiências. Mesmo assim, o infográfico aponta que o uso educacional das redes sociais ainda está atrás do uso social e de entretenimento entre os jovens. Clique na imagem para ampliá-la.

 

Pensamento Idade Mídia no Canadá

Barbara Martins entrou no Idade Mídia em 2008, mas logo descobriu que se mudaria para o Canadá em alguns meses. Ela não teve a oportunidade de fazer o curso completo, mas as aulas que frequentou e os amigos que fez pro causa do Idade Mídia ainda influenciam seu modo de pensar e viver hoje. Ela, que mora em Quebec,  decidiu seguir a área de linguística e ainda mantém contato com ex-idademidianos.

Idade Mídia, 2009

A turma de 2009 do Idade Mídia é lembrada pela dedicação e vontade de mudar o mundo. Os debates eram calorosos e quase sempre se estendiam para depois das aulas. A participação dos alunos naquele ano foi fantástica e, muitos deles, continuam ligados diretamente ao Idade Mídia até hoje – trabalhando para o curso, para o colégio Bandeirantes ou para parceiros e também colaborando com projetos como os blogs do InterBand e da Feira de Ciências. Confiram algumas fotos da turma de 2009:

Idademidiano na Folha de S.Paulo

Breno Silva, da turma de 2010, teve sua história contada em Idade Mídia – a comunicação reinventada na escola. Nela, contamos sobre uma carta que escreveu e enviou para a Folha de S.Paulo sobre a Copa América que foi publicada no Painel do Leitor do jornal. Confira o que este amante do futebol disse:

 

 

Não deixe de conferir o depoimento de Breno sobre a experiência que teve no Idade Mídia:

A Primavera Árabe em números

O Arab Social Media Report, da Dubai School of Government, produziu um estudo detalhado do comportamento dos usuários das redes sociais Twitter e Facebook durante a Primavera Árabe nos países do Oriente Médio. Ao analisar diversos gráficos, o relatório aponta, entre outras informações, o crescimento do uso  destas redes nos países árabes e os impactos que elas causaram. Confira o relatório completo clicando aqui.